Escrevemos hoje as nossas Alegrias...





Por ela fui ao céu! 

Se TU  já não estás ao meu lado,
Crê em mim, pois não é culpa SÓ minha!
Um dia eu ATÉ  já fui apaixonado, 
Por AQUELA outra Prima Minha. 


Por ELA eu perdi toda a liberdade,
A pujança e amor na SUA afeição!
Por mim EU só esperei já ter idade,
Para ter EM TI um amor de perdição.
 


Por ela  EU fui ao céu e aqui voltei,
Para ter ENFIM e desde cedo o seu amor,
Aqui vivi e tanto assim  que  eu cá fiquei. 


Para sempre neste eterno padecer e tanta dor,
Deste meu benquerer-te sem ter mais fim,
Fica aqui neste meu céu, perto de mim! 


(IN: "POESIAS SOLTAS" - De: Silvino Potencio) 

 
Notas de Rodapé:
 
O soneto aqui acima emoldurado, eu escrevi com inspiração na foto da linda Actriz Sul Africana Charlize Theron.
A foto me foi enviada pela Amiga Poetisa Colombiana Vera Aristizabal cujo contacto eu perdi há alguns anos - depois que o portal CEN - Cá Estamos Nós  do qual fui Delegado foi desactivado devido ao falecimento do seu Principal Fundador Dr Carlos Leite Ribeiro.
Por alguma razão que o coração não conhece, ao olhar a foto eu adivinhei a tristeza do passado desta linda mulher que agora veio a público e eu vos transcrevo em solidariedade com a sua tristeza do passado, porque um dos meus lemas em pensamento é: Nós escritores escrevemos hoje as alegrias do presente para aliviar as dores de um passado triste já bem distante! 


Citação: 



Charlize Theron falou abertamente sobre a noite em que a mãe matou o pai em legítima defesa, realça a imprensa internacional.A atriz, de 44 anos, recordou o momento em declarações ao NPR, altura em que o pai, Charles Theron, embriagado, ameaçou-a a ela e à mãe, Gerda, em junho de 1991 (na época Charlize tinha 15 anos)."O meu pai estava tão bêbado que ele nem conseguia andar quando veio para casa com uma arma. A minha mãe e eu estávamos fechadas no quarto a segurar a porta porque ele estava a tentar empurrá-la", descreve."Ele deu um passo para trás e disparou três vezes contra a porta. Nenhuma das balas atingiu-nos, o que foi um milagre", relata.Entretanto, a celebridade afirmou que Gerda deu um tiro ao marido. "Foi em legítima defesa, ela acabou com a ameaça", referiu Charlize, sublinhando que a mãe não foi alvo de qualquer acusação em tribunal."Não tenho vergonha de falar disto, porque acredito que quanto mais falamos destas coisas mais nos apercebemos que não estamos sozinhos. Acho que, para mim, sempre foi uma história de como é crescer com um vício e o que é que isto faz a uma pessoa", completou.

Fim de citação. 

(*) O Fundador do Portal CEN (Cá Estamos Nós) Dr Carlos Leite Ribeiro foi um Mestre na Pesquisa de Histórias e Textos ligados à Lusofonia em todos os estilos e géneros literários! - A mim me incentivou a escrever sobre Emigração e eu escolhi o esterotipo que mais se adaptava aos meus pensamentos literários. 
Vale lembrar aqui que o Portal segue agora sob o comando da Poetisa Maria Beatriz através da página Amigos do Portal CEN.  


Sem comentários:

Publicar um comentário

O tempo é ouro! por isso eu agradeço a todos por dividirem o vosso aqui comigo. Sejam benvindos ao meu Blog da liberdade de brincar com as palavras em Português e outras línguas!

Catramonzeladas Literárias

Assim se fala, assim eu escrevo

Em homenagem póstuma à Saudosa Amiga Maria Fernanda Pinto eu vos trago aqui um texto em resposta a uma das últimas Cartas que ela me e...