Se eu soubésse!...


Se eu soubésse!...

Se eu soubésse que esta seria a vez derradeira,
Que te vi cair no sono,
Eu te tomaria nos braços bem mais apertados,
E rezaria a Deus para te guardar a alma! 
Se eu soubésse que esta seria a vez derradeira,
Que te via caminhar pela porta fora,
Eu te daria um enorme e demorado beijo,
E te chamaria de novo para mais outro beijo! 
Se eu soubésse que esta seria a vez derradeira,
Eu arranjaria mais um minuto extra.
E pararia para te dizer "Eu amo-te"  tanto!
Em lugar de presumir que tu sabias que eu te amo.  
Vai haver um outro dia,
Para dizer; "Eu amo-te" tanto! 
E certamente haverá outra chance,
Para dizer "posso fazer alguma coisa"!? 
Mas no caso de que eu esteja errado,
E hoje é tudo o que eu tenho.
Eu gostaria de dizer eu amo-te,
E espero que nós nunca esqueçamos!  
O amanhã não é prometido a ninguém,
Velho ou novo!
E hoje, talvez esta seja a última chance,    
Para abraçar o SER amado bem juntinho.  
Tira um tempo para dizer " desculpa-me"!
"Perdoa-me por favor"!
 "OBRIGADO"!... ou  "está tudo bem"!
E ... se o amanhã nunca chegar,
Tu nunca terás que lamentar pelo hoje!

Autor deste Poema: Dr. H Solomon (in memorium of Sept 11th 2001)
 - Versão em Português: Silvino Potêncio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O tempo é ouro! por isso eu agradeço a todos por dividirem o vosso aqui comigo. Sejam benvindos ao meu Blog da liberdade de brincar com as palavras em Português e outras línguas!

Catramonzeladas Literárias

Ou vivemos todos juntos como Irmãos...

De: Silvino Potêncio > O virus e a Casca de Quina-Quina. Das múltiplas riquezas naturais da Amazônia, cuja extensão territoria...