As Enfermeiras do PÁ KISTÃO!...






A minha página literária no RL tem lá 500 textos que eu vou actualizando de vez em quando. E ultrapassou hoje a barreira das 74.000 visitas por isso eu vos trago aqui um texto em alegoria ao que por aí vai desde o tempo do PM que fugiu do JULIO DE MATUS(além) - desculpem saiu do Júlio de Matos (hospital dos malucos) para ir para o Poleiro em Belém...
As Enfermeiras do PÁ KISTÃO! Do nosso departamento de saúde mental, acabamos de receber a boa noticia de que finalmente está resolvido o problema da Enfermaria do Hospital Júlio de "Matus...além" e, como sempre, a solução veio do exterior! – É publicamente sabido que “tudo o que vem de fora é que é bom” !... até os Franceses sabem que as enfermeiras de Bragança (umas tantas recém formadas emigraram ainda há dias para lá) pois elas são muito melhores que as do Pá kistão! Antes porém de entrarmos em detalhes de mais este problema resolvido, onde a tónica da Administração do nosso indelével PM (Primo Mané) veio ao de cima como um autêntica “jogada de mestre” ( lembramos que o mesmo é Formado em Engenharia de Mestrado Informático com uma Dominical especialização em Publicação de Factóides Luz & Tanos) a qual teve repercussão imediata nos meios “xuxiais” da área de saúde PÚBLICA. Sabemos todos nós que, o adversário mais ferrenho além de ser Médico, Doutor Registrado na Ordem dos Médicos, e também no I.A.R.N. ele está na AMI (Administração Mais Inteligente) e por isso tornou-se uma questão de honra colocar a saúde em dia! - Sem saúde não há País que resista! É Obrigação moral, material, mental e até contractual de Portugal todo! em eleger um médico. - O País está doente, mas a família ainda não se deu conta!... as eleições estão aí para isso! Por uma questão de ética e respeito ao Glorioso momento do ponto Alto da Administração do país, levada a efeito a partir da Enfermaria do velho Hospital dos Malucos  Júlio de Matus além (de onde saiu um durante a o período do PREC), levou-se em conta a contratação de Profissionais altamente gabaritados para executar as tarefas mais eminentemente necessárias ao bom funcionamento da “cabeça” do País. O então ocupante do poleiro "Alfacinha" era comunista, vigarista, oportunista e só lia teoria "marxista".
E, isto porque o Par lamento precisa deixar de se lamentar o tempo todo. E a dizer que o Governo não tem cabeça! que só tem corpo (?!) e que os membros andam sempre fora do país, coitados,  a ganhar a vidinha como bons praticantes da técnica do “Escambau” (1). Ora, mediante tão grande dilema, a solução foi importar Enfermeiras do Pá Kistão! Tudo resolvido e porquê deste vetusto País de maioria Muçulmana, eternamente encravado entre a Cruz e Caldeirinha?! o lema é "ou morris ou vais p'ra cova"!
As enfermeiras não falam patavina de Português!, logo, não adianta o doente reclamar com elas porque elas foram “importadas” como imigrantes refugiadas para repor a balança de pagamentos do comércio de enfermagem a nível Europeu; ou seja, nós em obediência aos Economistas do Fundo Europeu de Apoio aos Caloteiros Ibéricos, mandamos uma meia dúzia de enfermeiras diplomadas para a França onde vão aprender a falar Francês, enquanto trocam fraldas geriátricas dos Emigrantes Reformados que lá estão – são aos milhares, que foram para lá no início dos Anos "Se Senta" aí para ver o campeonato do Mundo de 1966... (salve oh ti Eusébio,Ti Simões, Ti Coluna etc e tal e coisa) e na contrapartida importamos umas dezenas de profissionais mais baratas do Pá Kistão! Ao analisarmos a razão de tal inusitada resolução dos nossos Ministros, nós concluímos coisas interessantíssimas; a prática do escambo foi a actividade mais rentável desde o tempo do Diogo Cão...ele ,levava umas barricas de “binho berde” da região de Amar ante para o Rei do Congo, e ele nos mandava um navio cheio de trabalhadores (todos com carteira assinada pelo Ministério do Trabalho do Congo) para virem fazer “cachaça”nas Capitanias Hereditárias... Aquilo é que era comércio exterior, caraaaaaaaago!
Mas aconteceu que o Brasil não quis comprar a dívida do Rei, e o nosso Ministro foi vender os “papeis” duvidosos,  ou “dividosos”, não sei bem como funciona esse escambo mas... é mais ou menos isso!... A DÍVIDA do Portugal actual foi assim transferida para a China. Lá chegados a MACAU (da China) aonde ainda se fala muito o "MANDAR IN" todos, o Rei de lá estabeleceu logo uma condição!
Nós compramos os vossos papéis “dividosos” mas, queremos uma contrapartida; teem que nos comprar a mesma quantidade no equivalente em “Camisas de Macau”. (2) - São baratas, são práticas, só teem meia-manga, porque “voismecês” sabem, né?!... Cá na China nós não temos pano p’ra mangas. O que temos é muitas mangas p’ra usar o pano! E mais!... nós vamos lá no "Recto" Ângulo Ibérico e montamos lá uma fábrica de Camisas de Macau, porque não fazemos questão de colar etiquetas do “made in China” senão depois ainda nos vão acusar na Camara de Comércio em Paris, que as camisas não prestam, que se rasgam logo na primeira lavagem, enfim sabem como é!... Até porque exportar e importar é um assunto sério. Depois de muita conversa o Home do Escambau resolveu descambar para o Médio Oriente, e se mandou para o Dubai – isto porque o Agente de viagens oficial lhe perguntou: voismecê aonde bai?... e ele lacônicamente disse aonDu Bai?!...e foi!
Mas, nas pressas, esqueceu-se de consultar o Off de Guiness que já avisou que o Emirado está nas Lonas!
Até tem lá empresas e empresários à espera dos Cheques do Sheik que disse que ia pagar,... mas ainda não pagou! - e foi aí que apareceu um gajo do Pa kistão a oferecer mão de obra barata!, a troco de qualquer bagatela ele compraria os tais papéis “dividosos”  do Banco de Portugal desde que os Lusos concordassem em fazer Camisas de Força em vez de Camisas de Macau. Feita rápidamente uma consulta ao Velho Julio de “Matus além” – o Ti "Bush Echas" aconselhou que era melhor uma boa troca do que uma venda mal feita. E... de imediato se fizeram os papéis para importar uma certa quantidade de Enfermeiras, só falta acertar agora o transporte e o tipo de embalagem adequada. Com Burka, sem Burka, de Camelo  ou de Jumento?!... falta negociar. Em relação ao trabalho dessas imigrantes foi tudo muito bem facilitado: - a enfermeira entra na Ala dos doentes mentais, em regime de cárcere privado, mas que fazem uns biscates para empresas do governo e, ao escutarem o pedido dos pacientes para trocar as suas CAMISAS DE FORÇA - elas respondem sem balbuciar... OH PÁ KISTÃO! Trabalham sempre em pares; uma enfia a manga da direita e a outra enfia a manga da esquerda. O centro fica em mangas de camisa de vénus! Já tem empresa da região da Covilhã animada para reabrir as instalações e fazer Joint Venture (em português significa juntar os lucros) para fabricar aqui as camisas de forças da China, mas são as mesmas importadas de Macau.
(1) Eu Tenho mais  alguns escritos divulgados na internet sobre a prática do "escambau"!
(2) Todos os Retornados sabem o que são "camisas de Macau" e as usaram durante séculos.
- Por agora deixamos aqui um abraço a todos e até breve,

Silvino Potêncio
Emigrante Transmontano - O Home de Caravelas de Mirandela.

Original Publicado nos meus Blogs (actualmente desactivados pelo provedor em Portugal) 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O tempo é ouro! por isso eu agradeço a todos por dividirem o vosso aqui comigo. Sejam benvindos ao meu Blog da liberdade de brincar com as palavras em Português e outras línguas!

Catramonzeladas Literárias

Ou vivemos todos juntos como Irmãos...

De: Silvino Potêncio > O virus e a Casca de Quina-Quina. Das múltiplas riquezas naturais da Amazônia, cuja extensão territoria...