Um poema de "Fique São" ficção, ficção!...



Um poema de  “Fique São”!  (ficção)

 É uma sim,outra não!
 - As batidas do meu coração.
Batem leve, suavemente!
Como a Alma que já desce de mansinho,
Será neve?,Será gente?
Ou é apenas granizo a cair devagarinho!?
 - A neve não é certamente,
Porque ela não bate assim!
Só pode ser certa gente,
Que não gosta do meu Jardim.
Batem leve, suavemente!…
Na janela do meu quintal,
É cá em casa ou no vizinho!?
Será algum animal?
Mas com tanto amor e carinho?!
- A gente não é certamente,
Porque aqui neste nosso Portugal,
Ela já está toda dormente.
Pois  já padeceu tanto mal.
- Batem leve, leve, levemente,
E tão suavemente batem em retirada,
A caminho da ida para a emigração.
Porque Batem a porta na cara,
Para quem ama esta nação!
Batem muitos em retirada,
E depois da batalha perdida,
A Bandeira desfraldada ( mas tão triste!)
Estão todos quase sem vida!.
(in: “POESIAS SOLTAS”)
De: Silvino Potêncio
Emigrante Transmontano em Natal/Brasil desde 1979 

Um comentário:

  1. É uma pobreza de patriotismo de bradar aos Céus. Seria hilárico não fosse tão dramática a postura em público dos Maiores dignatários desta Nação que Séculos atrás deu NOVOS MUNDOS AO MUNDO!!!

    ResponderExcluir

O tempo é ouro! por isso eu agradeço a todos por dividirem o vosso aqui comigo. Sejam benvindos ao meu Blog da liberdade de brincar com as palavras em Português e outras línguas!

Catramonzeladas Literárias

A Dor de um Retornado!...

A Dor de Um Retornado... . ..Uma lágrima de dor, Um suspiro de pouco amor, - Uma nuvem ao sol-pôr, - num oceano vermelho...