Poemas de Angola



A minha iniciação na literatura começou no princípio dos anos 70 do Século passado, logo após eu ter entrado para a Escola de Aplicação Militar de Angola. 
Todavia o livro só foi publicado numa Edição muito resumida para amigos e amantes da literatura daquele tempo. Na segunda edição agora publicada no Brasil pela AGBOOK e vendido pelo site do Clube de Autores eu fiz a minha apresentação em verso e prosa devidamente actualizada aqui neste meu Blog: 

Eu!?... Quem sou?!...

Olhai bem p'ra mim! 
E eis-me  aqui no início,
O Princípio de mim mesmo, enfim!

- Em suma, estou eu aqui no começo dos começos dos meus muitos “eus”!



Eu sou!?...
Eu sou aquilo que sou,
E não aquele que querem que eu seja!
Não me importa o ângulo por onde me veja. 
Foi Deus que disse; assim seja.

Eu sou aquilo que sou,
Aquilo que ninguém me fez ser...
Eu sou aquilo que sou e serei até morrer!
Foi Deus que disse; é este o Meu Querer.

Não quero ser outro qualquer,
Nem me façam ser de outro jeito...
Porque eu sou assim cá dentro do peito!
Foi Deus que disse; está feito.
Na alma e no coração.
Eu sou aquilo que eu sou,
- E disso eu não abro mão, e está encerrada a questão!
Foi Deus que disse; é este o teu condão.

Eu sou aquilo que eu sou,
Enquanto o meu ser me sustenta,
Este corpo de cor incolor quase isenta.
Foi Deus que o disse; quando me deu água benta.

Transparente a todos vós, 

Trago genes dos meus avós, 
Que já passei aos meus filhos,
Foi Deus que disse; aqui tens os teus cadilhos. 

- Iguais serão os meus Netos!

Que vão em busca dos trilhos, 
Que vivem o seu teorema,
A quem deixo este poema,
E em herança dos meus afetos.


Eu sou aquilo que sou...

E não aquilo que fui, nem aquilo que eu quis ser.
Já esqueci o passado... sou só eu aqui ao meu lado!
Foi Deus que me fez assim moldado. 

– Aqui neste livro somos diversos personagens anônimos que nascem e crescem dentro do meu imaginário e, depois de muitas "catramonzeladas" literárias ou não vivenciadas, finalmente fomos soltos na realidade da vida! 
Aqui estão quase todos os meus “eus”, porém alguns somem na aventura de os divulgar, de os expôr ao vento Norte!, Sul, Leste e Oeste. Faço isto enquanto posso escrever as minhas crônicas, as minhas memórias e poesias e textos expostas(os) em pensamentos  de toda a sorte.
Isto porque a minha Vida aos 25 anos de idade era um livro aberto com as folhas soltas ao vento!
Mas, de repente, não mais que um simples "repente" veio um tufão chamado de "descolonização" ... e hoje eu as procuro no infinito das minhas memórias. 

Silvino dos Santos Potêncio, (Silvino Potêncio)  nascido a 04/11/1948, sou natural da Aldeia de Caravelas no Concelho de Mirandela – Trás-Os-Montes - Portugal, e sou Emigrante Transmontano em Natal/Brasil desde 1979.


Como escritor eu tenho centenas de crônicas, na sua maioria publicadas e divulgadas sob o subtítulo genérico de “Crônicas da Emigração - Catramonzeladas Literárias”  muitas delas já reunidas em colectâneas que aguardam sua publicação em livro impresso. 


Fui e ainda sou Membro activo de várias páginas e jornais (alguns são só virtuais) da Lusofonia onde publico os meus textos em prosa e verso.
Um breve resumo dessas minhas participações e colaborações a título gratuito em solidariedade com os meus Leitores em língua Portuguesa:  
- Portal CEN - CA ESTAMOS NÓS – Portal do  saudoso Dr Carlos Leite Ribeiro como sendo um espaço virtual que reúne dezenas de Escritores de Lingua Portuguesa oriundos dos Países da chamada CPLP (Silvino Potêncio é Delegado em Natal/Brasil do Portal CEN).
 A "Varanda das Estrelicias" foi um espaço aberto pelo saudoso Amigo Escritor, Poeta e Crítico Literário, Coronel Joaquim Evonio (natural da Ilha da Madeira - Portugal). Neste espaço puderam os leitores encontrar inúmeros textos e poemas da minha autoria, na maioria directamente relacionados com a minha passagem pelo serviço Militar em Angola. Fiz curso na EAMA e vivi em Angola um período de aproximadamente 11 anos  enquanto Colónia de Portugal


O portal “Os Confrades da Poesia” é um espaço virtual fundado pelos Amigos Escritores, Pinhal Dias e São Tomé. Transmite através de Rádio, e também um Boletim mensal onde se divulgam regularmente alguns dos meus poemas – na maioria extraídos dos Livros: Poemas de Angola  “Eu, O Pensamento, a Rima!...” e  “Poesias Soltas” assim como de muitos outros Confrades espalhados pelo mundo da Lusofonia. 



O portal  “Movimiento  Poetas Del Mundo"  do Amigo Poeta Chileno Luiz Arias Manzo – devido  à minha origem em Portugal eu estou cadastrado no Círculo da Europa/Portugal - é outro espaço virtual onde podem ser lidos alguns poemas da minha autoria.



  Eu tenho (ou tive! em tempos passados)  a directa participação em vários outros portais, tais como: 
Os Blogs "ZÉBICO", "OS NÏZCAROS", "OS GAMBUZINOS"  - Notícias da LusofoniaKimbo de Angola Feiticeira” da Escritora Delay (Portugal) -Portugal Lusofono”  - O Grupo Stamtisch“Portugal Sem Passaporte” ( do Jornalista Graciano Coutinho - Fortaleza) - MUNDO PORTUGUÊS (do Rio de Janeiro) O EMIGRANTE (Mundo Português de Lisboa)  e outros que nem me lembro!  Contudo tenho já registada a minha página Literária própria e site do Escritor www.silvinopotencio.net  no portal “Recanto das Letras”.  

 

- Além do evidente gosto pessoal pela literatura, eu trabalho como Consultor Autônomo + Auditor + Agente de Consultoria de Mercados Internacionais  para empresas de Turismo, Hotelaria,  Projetos de Investimentos Diversos e Assessoria Especializada em Comércio de Importação e Exportação.

Sejam todos benvindos! 












Um comentário:

  1. Ser escritor editado é pressupostamente abrir a Alma ao público leitor. Essencialmente practicar um acto de Fé em si mesmo. Silvino Dos Santos Potêncio​

    ResponderExcluir

O tempo é ouro! por isso eu agradeço a todos por dividirem o vosso aqui comigo. Sejam benvindos ao meu Blog da liberdade de brincar com as palavras em Português e outras línguas!

Catramonzeladas Literárias

Ou vivemos todos juntos como Irmãos...

De: Silvino Potêncio > O virus e a Casca de Quina-Quina. Das múltiplas riquezas naturais da Amazônia, cuja extensão territoria...